2 de maio de 2018

19º Tempo do Padre – Aos maranatistas envolvidos. Pe. Antonio Marcos Girardi

19º Tempo do Padre – Aos maranatistas envolvidos. Pe. Antonio Marcos Girardi

Aos maranatistas envolvidos

        Aos maranatistas participantes do 19º Tempo do Padre creio oportuno fazer alguns esclarecimentos sobre certos questionamentos levantados na ocasião.

        Em primeiro lugar, o número de presença foi muito bom.

        Também a participação nos trabalhos revelou uma ótima disposição de todos.

        Com respeito pelo outro e por seu trabalho, trataram-se os assuntos com liberdade e franqueza. Vejo nisso a expressão de um agradável nível de maturidade.

        Não há dúvida que vivemos nos tempos atuais graves problemas financeiros. É o contexto da sociedade em que estamos inseridos. Se para o povo em geral, isso já é um desafio, muito mais para quem responde pelo sustento de uma Obra Social, que depende sobretudo da boa vontade de certas pessoas.

        Daí a necessidade urgente de se mexer nas causas de nossos apertos. Aos verdadeiros conhecedores da realidade e comprometidos com ela, imagino que se trata de um fato indiscutível.

        Assim, vi com muito bons olhos o fechamento do Larzinho, embora o fato represente um aperto em nosso coração.

        Quanto às outras Obras, ainda que se possa pensar em diminuí-las – e até se deva – não há nenhuma pressa, se os maranatistas todos se envolverem de fato na sua sustentação, com ação mais do que com palavras e sentimentos. Nem teríamos, no momento, recursos para quitar os encargos sociais.

        Imagine-se, por exemplo, que para o fechamento do Larzinho foram necessários R$ 140.000,00, para o que naturalmente não estamos preparados.

        Tudo demanda um planejamento em que se considerem prioridades e conveniências.

        Por isso, nenhum sobressalto. Nem se trata de desconsideração pelo que está sendo feito, com tanta dedicação e reflexo positivo na sociedade. Parece-me até que nunca estivemos numa fase tão linda de envolvimento pelas pessoas que se acham à frente dos trabalhos.

        A verdade, porém, é que temos uma série de graves desafios jurídicos e financeiros para resolver.

        Todos são convidados a participar na busca de caminhos que venham aliviar a gravidade do que demanda resposta urgente.

        Gostei muito, como já tive oportunidade de tornar público – do 19º Tempo do Padre. A participação foi muito boa. E o envolvimento de todos, maravilhoso. Sem medo e com respeito. Diria até, – pela gravidade dos temas – com muita seriedade.

        Peço que acompanhem com verdadeira disposição de todos as iniciativas, para que possamos sair do atoleiro.

        Com sincera boa vontade e com a graça de Deus, conseguiremos.

 

O prédio do Larzinho

        Seria a única propriedade do Maranata. O imóvel, porém, encontra-se, ainda, embolado numa série de desafios: não está concluído, não tem escritura. Pelo momento, está em nome do Larzinho. Alguns problemas jurídicos e financeiros amarram a propriedade, e esteja ela em nome de quem quer que for, considero uma de nossas urgências prioritárias resolver a situação.

        Desatados os nós, poderíamos dar-lhe melhores destinos.

        Quem sabe, alugar, transformá-lo numa Casa de Encontros, até na Sede Oficial do Movimento.

        Além do trabalho, há despesas em vista (escritura, acabamento do prédio e IPTU, que aliás está sendo pago em parte).

        Quando for o caso, aguardo questionamentos e propostas.

Um grande abraço, com muita confiança.

Pe. Antonio Marcos Girardi

Diretor Espiritual

Duda e Ane / Raul e Rose

Presidência

São Paulo, 02 de maio de 2018

Leave a Reply

Your email address will not be published.