13 de março de 2020

Os cantinhos da memoria .

Os cantinhos da memoria .

Hoje de manhã acordei com triste noticia que mais um amigo “se foi antes do combinado”.
Acho que uma das coisas mais difíceis de aceitarmos é quando criamos uma ponte de carinho, uma convivência com pessoas especiais e de repente Deus chama e lá se vai, perdemos mais um.

Na fé e confiança em Deus nos consolamos, mas, sozinho na varanda do meu quarto comecei a passear, como num sonho acordado por trilhas destes anos de Maranata, pelos cantinhos de São Roque, e estavam lá, Cazarim, Carlão e Rose, na suas cozinhas deliciosas, Hélio em mais uma secretaria atarantado, o Carlinhos pela copa atrás de brincar com todos que por la passavam.

E fui lembrando, do Alfredo que trazia umas guloseimas no final do encontro, um premio de carinho, tantos outros que fazem uma falta danada. Agora foi um festeiro, um cantor, um meninão que sempre estava a sorrir e tranquilizar a todos os estressados, que junto com sua Regina encantou muitos casais e embalou suas cerimonias de casamento nos encontros , pena que não podia ter noite de núpcias. Delicia de memorias, e sabem nunca diria “eu era feliz e não sabia” , apesar de tudo,

EU ERA FELIZ E SABIA .

Foi Deus quem nos uniu, quem nos tornou amigos, nem precisava perguntar da onde veio, por que veio ou o que possuía , apenas era se chegar, olhar para esse Deus de amor, e virávamos irmãos. Maranata não se entende, se vive, se irmana, rimos muito juntos e hoje estamos chorando juntos porque mais um se foi. Mas nos meus cantinhos da memoria, estão todos lá, cantando um dia de domingo, faz de conta que ainda é cedo …….. . Eu era feliz e sabia.

Grande abraço, que não pude dar, Daniel . Vá em paz meu querido, aqui todos sentiremos sua falta. Nós temos os cantinhos da memória, o Maranata no coração, onde ninguém sai.

Orlando da Sueli.

Leave a Reply

Your email address will not be published.